• JERRYSASSON

    JEAN
    O QUE VOCE ACHA DA HIDROELETRICA ITAIPU TER SIDO CONSIDERADA
    A MELHOR EM SUNTENTABILIDADE DO PAIS?
    JUSTO?

  • Leonan Bernardini

    Prezado Jean,

    A questão dos catadores, mais que uma solução, é um problema. Primeiro porque essa não deveria ser considerada como uma opção de renda. Não será dessa forma que se resolve um problema social, é um trabalho ruim, pouco compensador e feito, via de regra, sob condições deploráveis.
    A outra questão é a ambiental. O Brasil só tem bom desempenho na reciclagem de materias com "maior" valor de mercado (latas de alumínio por exemplo). Afinal, estamos em um sistema capitalista, o que vale a pena ser recolhido é o que paga mais. Como a maioria dos catadores recolhe tudo, o que vale a pena carregar é mantido, o restante, via de regra vai parar em terrenos baldios, beira de risos ou, na melhor das hipóteses, na rua, onde vai parar no lixo a ser destinado a um aterro (quando esse existe).
    Acompanhei, a distância, alguns desses "coletores", os terrenos baldios são caminho certo de muitos, outros largaram o que não interessava na beira de um rio perto do centro.
    Um "mais consciente", separou o que interessava e o que não interessava, apesar de reciclável, foi ensacado e colocado para ser recolhido pela coleta de lixo não reciclável. Diga-se de passagem, pelo menos 3/4 do reciclável que havia sido originalmente foi parar no aterro de Curitiba.
    Programas de reciclagem só funcionam sob dois eixos, poder público interessado e consciência da população. Nos países onde há maior eficiência na reciclagem, catadores não entram na equação.

  • thais

    gostei do comentario acima!