• http://www.eficien.com.br Luciana Gomes

    Jean parabéns por seu artiigo, é totalmente pertinente. Mas ainda sugiro um item a ser considerado, estamos estimulando a troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes, mas o que fazer com as fluorescentes ao final de sua vida últil? Ela contém contaminantes e não pode ser tratada como lixo comum, mas vejo pouquíssimas ações para coleta de tal resíduo. Na minha cidade (Sorocaba/SP), por exemplo, se você quiser dar um destino correto você deve pagar para uma empresa R$ 350,00 pela coleta, seja de 1 ou 500 lâmpadas. A prefeitura não tem ponto de coleta e pede para guardarmos em casa, mas até quando vou guardar? Até o decreto da LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010 ? Espero que não demore muito! Como sugestão é um ótimo tema para seu segundo artigo.

    • http://www.verdejeando.blogspot.com Jean Marc Sasson

      Luciana,
      Obrigado pelo comentário.
      Acredito que com a regulação do decreto que mencionou, principalmente no tocante à logística reversa esse assunto será melhor definido.
      Eu sugiro ao invés de pagar por este serviço, a meu ver equivocadamente, procure a loja que comprou ou o fabricante do produto e exija o recolhimento deste material.
      A troca de lâmpadas é fundamental, mas a destinação também o é, como mencionei no artigo.
      O consumo inconsciente nunca é uma alternativa…
      Abraços,
      Jean Marc Sasson

    • João B,. Barbosa

      Luciana – Sugiro consultar a empresa no site http://www.greencompany.com.br/ que faz reciclagem de todos os tipos de lâmpadas

  • Cesar

    Muito bom o artigo Sr. Jean Marc, parabéns, mas infelizmente ainda temos muito o que fazer para nos tornarmos eficientes energeticamente. Tenho curiosidade em saber mais sobre os painéis solares, não seria uma forma mais fácil de obtermos energia? Não sei, pode servir de tema para um próximo artigo. Imagino que o Governo intervenha neste assunto, porque ao meu ver a energia solar é mais viável, mas acho que eles perderiam na cobrança de impostos.

    • http://www.verdejeando.blogspot.com Jean Marc Sasson

      César,
      Acredito muito que a energia solar é o futuro da energia. Apesar de todas as energias serem "sujas" por impactarem de qualquer forma que seja, a energia solar é que temos mais abundante e teoricamente jamais se esgotará. A eólica que é a mais limpa ao lado da solar depende muito dos ventos que não são constantes.
      Contudo, a solar ainda é muito cara. Os painés hoje ainda são caros, o que impossibilita um forte investimento neste setor.
      Abraços!

  • http://energiasrenovaveiscapturaco2.blogspot.com/ Paulo

    JEAN
    Sem dúvida seu artigo é muito pertinente, pois estamos no país do desperdício e portanto qualquer iniciativa na direção da eficiência energética deve ser levada a sério.
    Quanto à disponibilidade de energia renovável em nosso país, posso afirmar que o potencial é incalculável literalmente, pois nas regiões produtoras agrícolas a gaseificação da biomassa poderia gerar enormes quantidades de energia com emissão próxima a zero. Na região Norte o aproveitamento dos novos sistemas termo solares, poderiam suprir a maior parte de nossas necessidades. O aproveitamento de turbinas hidrocinéticas que é praticamente desconhecido no Brasil seria de grande valia em um país onde a quantidade de rios é enorme e o potencial hidroelétrico está quase esgotado e é causador de grandes impactos. Podemos ver que o aproveitamento das energias renováveis apenas engatinha em nosso país.
    Paulo Bernardi Junior
    Biólogo
    Gestor Ambiental pela USP
    Doutor em Energias Renováveis pelo IPEN – USP

    • http://www.verdejeando.blogspot.com Jean Marc Sasson

      Paulo,
      Sem dúvida desperdiçamos várias oportunidades de exploração energética.
      Apesar de termos uma matriz limpa, com mais de 70% de energia oriundas de hidrelétricas, ainda utilizamos muito energia fóssil para suprir eventuais variações e necessidades. Além disso, não investimos em pesquisa de novas fontes, até mesmo para baratear as que já existem.
      Acho que nossa matriz deveria ser composta principalmente de energia solar(vivemos em um país tropical e a fonte é intermitente) e eólica.
      Grande abraço!

  • Tarciso Colodetti

    Jean,
    Outra questão que pode ser analisada é a dos investimentos em geração de eletricidade no país. Conforme consulta no banco de dados do site do IEMA do ES observei um crescimento, quase exponencial, da quantidade de licenciamentos ambientais em andamento. Ainda o PAC, Plano de Aceleração do Crescimento do Governo Federal, indica a forma de ampliação da oferta de energia no país ter a tendência de geração de eletricidade no modo distribuído, ou seja, será gerada eletricidade nos locais de consumo. E, para tanto, a queima de combustíveis em termoelétricas é a saída, seja renovável ou não. Mas acredito que, com o corredor de gás Gasene (Gas Sudeste Nordeste), a geração de eletricidade nestes locais e em outros isolados e distantes de fontes hidroelétricas, sejam a partir do gás, biomassa, carvao e derivados de petroleo.

  • Clayton Menezes

    Jean, parabéns, pelo seu excelente texto. Escrevi algo parecido aqui neste espaço poucos dias atrás em um outro tópico. Eu acredito que a eficiência energética é uma ferramenta fundamental para suprirmos a demanda de eletricidade no futuro.

  • lina

    Jean como sempre seu bom senso,presente e atuante,observa todos os aspectos,agora tem um que me preocupa,não só á mim,e tem haver com o nosso futuro,como vai ficar o Brasil,com apenas o veto parcial da presidenta Dilma,será que os políticos,assumiram suas responsabilidades,pensando no dia de amanhã,de maneira,neutra,imparcial e justa,sem beneficiar ninguém,"apenas"o meio ambiente,á vida,o respeito,vejo que defende idéias,energias mais limpas,mas enquanto á justiça,continuar parcial,fica difícil,penso na exceção que á lei permite,implementação de um projeto,de interesse nacional,social,público, energético em áreas de alta fragilidade ambiental,quanto conflito ainda vai surgir,quantos impactos em nossas vidas,qual o preço que pagaremos,por essa exceção?uma lei protege outra permite,quem ganha,quem perde?qual o peço que vamos pagar por sermos abençoados pela natureza e …pelos homens,que justiça é essa?que persegue,intimida,e mais ainda diz que processa quem passa em seu caminho,bom peço perdão á DEUS,se o fato de ter opinião,faz com que eu me sinta no tempo da ditadura,me sinto,sem chão,mas,determinada,á continuar,tendo opinião com respeito e responsabilidade,sou apenas uma formiga que tem fé,em nada manda,apenas observa,agora na minha,está nas mãos da justiça,dos homens e de DEUS,agradeço á atenção de todos e um Bom Dia que tudo acabe bem.