• http://www.uirapuru.net Fabiano

    Gostei muito do artigo. Faço mestrado de Engenharia Ambiental. Minha tese é sobre impactos ambientais da energia eólica. Quem tiver artigos Bibliografias, livros, teses, cases, sobre o tema, agradeço muito!

    • Cynthia

      Olá Fabiano, existe de fato uma ampla mobilização para estudar os efeitos da poluição sonora promovida pela energia eólica e os impactos desse tipo de poluição não são extremos, apenas dependem de fatores como idade e saúde. Haverá um congresso no Colorado para discutir isso, procure por
      Noise-Con 2013 & Wind Turbine Noise 2013.
      Espero ter ajudado
      Cynthia Gusmão

  • Adilson Brito

    Parabéns pela reportagem Marilia. Muito esclarecedora. É importante e essencial questionar os impactos das eólicas para que novas tecnologias nos equipamentos dessa fonte de energia inteligente sejam também priorizadas.

    No entanto, gostaria apenas de relembrar aos leitores as verdadeiras proporções do que realmente pode ser chamado de impacto, ao contrário de algumas centenas de insatisfeitos que possam surgir nas proximidades do geradores eólicos.

    Dentre os inúmeros impactos da grandes hidrelétrica, a principal fonte de energia elétrica do país, cito a desapropriação de 1.000.000 de brasileiros, muitos dos quais não viram sequer a cor da indenizações. Outro Impacto severo em dezenas de grandes rios como o Grande, o Paranaiba e o Iguaçu foi a extinção em massa. Nesses locais, únicos no mundo, 70% de espécies de peixes foram completamente extintas (conhecidas como os grandes migradores e de valor econômico).

    Nesse cenário devastador os impactos das Eólicas ainda são, na visão mais pessimista, irrelevantes e passíveis de superação com novas tecnologia. Essa condição infelizmente não funciona para situações como as grandes barragens ou o bioetanol.

  • Arnaldo C. Muller

    Marilia, Interessante suas colocações, em especial o destaque para a progressiva viabilização econômica dos parques eólicos. Quanto aos impactos, se você se aproximar de uma Torre Eólica de parques brasileiros, verá que o ruído das máquinas aqui instaladas é realmente insignificante. A questão dos ruídos se aplica aos equipamentos “primitivos” da Europa, onde remanesce uma legislação estabelecendo 450m de distância de qualquer povoação, para baixar o ruído a 35 decibéis. Também não se constata perda de virilidade nos touros das boiadas que pastam sob os grandes geradores de Osório – os que se dizia poderiam afetar os neurônios pela estática produzida. Feios? Em Palmas, no Paraná, são motivo de visitação turística. Mesmo na Europa – em Portugal, que conheço, não são indesejados. Os maiores impactos acontecem no chão: onde há que se abrir estradas de acesso para implantar e manter as torres. Os locais com melhores ventos situam-se em morros, várzeas litorâneas e dunas, áreas com sensibilidades ambientais que podem impor EIA em vez de RAS.

    • Nina

      Arnaldo, a questão é exatamente esta sua frase: "Os locais com melhores ventos situam-se em morros, várzeas litorâneas e dunas, áreas com sensibilidades ambientais que podem impor EIA em vez de RAS." Este ponto é que as autoridades licenciadoras não querem entender para modificar as regras.

  • Rodrigo

    Arnaldo, numa região da Alemanha os imóveis se desvalorizaram 50% por causa do ruído.
    Quero destacar o parágrafo
    : O objetivo aqui não é analisar a veracidade ou não de tão drásticas alegações (até mesmo porque para isso são necessários dados técnicos e científicos válidos, até agora inexistentes), mas alertar para os extremismos das expressões e afirmações.
    Como diz o ditado popular: pimenta no olho dos outros é refresco. Não há qualquer preocupação de avaliar se as críticas às hidrelétricas e nucleares são extremas ou não.
    Parem de tratar eólicas como uma religião!

  • Priscila

    Muito bom o artigo. Pena que concluiu com uma colocação infeliz…. O impacto ambiental gerado pela destruição das Sete Quedas é inaceitável!!! Local de beleza cênica, patrimônio do povo brasileiro e local de alta biodiversidade. Aliás, num país tão propenso ao uso da energia eólica é inadmissível que se construam mais hidrelétricas!!!

    • Douglas

      É muito fácil hoje, 30 anos depois do projeto e construção de Itaipu, dizer que é "inaceitável". Inaceitável devia ser alguém vir aqui e criticar o planejamento do crescimento brasileiro naquela época, utilizando-se dos melhores recursos tecnológicos daquela época. Garanto que hoje o Brasil seria bem pior se essa acertada decisão não tivesse sido feita naquele momento, apenas por causa da "beleza cênica". Ou a leitora acredita piamente que isso não fora levado em consideração ao se decidir pela construção de uma importantíssima hidrelétrica no local?
      Aliás, chamar de "inadmissível" a construção de hidrelétricas por causa do atual advento das eólicas é, no mínimo, desconhecimento do assunto de como melhor aproveitar os recursos naturais existente, além disso, de como a variabilidade eólica pode afetar o SEU consumo diário.
      Felizmente, nossos planejadores sabem que hidrelétricas são necessárias. Devíamos sempre agradecer por termos a possibilidade de ter essa a principal forma de geração de energia no Brasil.
      Como já dizia Raul Seixas, "quem não tem visão, bate a cara contra o muro"!!!!

  • Rodrigo De Filippo

    Parece que andaram bloqueando o meu e-mail, porque não me lembro de ter recebido mensagens informando os comentários de Priscila e Douglas. Sou biólogo, tinha 24 anos quando encheram Itaipu e 26 quando concluíram Tucuruí. Na época também me posicionei contrário às duas usinas. Quis o destino que eu fosse trabalhar justamente para o setor elétrico, e aí aprendi que as duas geravam quase 30% de toda a energia do país. Vejam a informação mais atualizada:

    A capacidade instalada dos empreendimentos de geração em operação no país alcançou 114,22 mil megawatts (MW) no primeiro semestre de 2011, de acordo com dados do Banco de Informações da Geração (BIG) da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Sabem quantas usinas geradoras – considerando todas as fontes – existem no país? 3.300. Itaipu e Tucuruí, juntas, somam 21.400 MW, ou 18% desse total!
    Graças às duas usinas a medicina brasileira evoluiu, a ciência brasileira progrediu; graças às duas usinas foi possível usar o metrô de São Paulo e Rio de Janeiro, e evitar a emissão de milhões de toneladas de carbono na atmosfera. Graças às duas usinas tivemos as mais puras matrizes energética do planeta.
    Concordo totalmente com o Douglas: as hidrelétricas são necessárias e ainda o serão por décadas. E digo mais, a única fonte alternativa admissível é a nuclear. Digo isso há anos, e agora tenho uma referência, apesar de antecedê-lo nessa posição: James Lovelock.

  • Leonardo

    Só o começo da reportagem ja me desanimou de ler o artigo inteiro.
    Queria saber quais são as qualificações dessa jornalista pra poder opinar sobre o assunto! Alem de escrever muito mal, mostra a total falta de informação do assunto.

    Parece que os brasileiros ADORAM reclamar.
    Quer fazer Belo Monte não pode por causa dos índios, eólica também não pode por causa de desvalorização imobiliária, solar ainda é cara e ineficiente, carvão polui e nuclear é perigosa, nos resta o que????????

    TODA E QUALQUER TIPO DE ENERGIA GERA IMPACTOS! Não existe nenhum tipo que tenha só vantagens.
    eólica é o futuro!!!!

  • peagá

    aqui no RS, a maior parque eolico da america latina, esta situado numa area longe do centro urbano, numa area de pasto e mata rasteira!

    ninguem vomitou por isso, nem ficou tonto, nem esteril, esta distante quase 10 km do mar, nao atingindo marés e , ciclos de chuvas e ventos….

    é motivo de visitação, quase nao se escuta o ruído…
    sei la, mas acho que tem dados incorretos

    • Nina

      "peagá", citando seu comentário: "a maior parque eolico da america latina, esta situado numa area longe do centro urbano, numa area de pasto e mata rasteira!" : não tem dados incorretos, você mesmo citou um ponto inportante, a característica do local de instalação dos aerogeradores. Isto faz muita diferença!!!! Instalar as gigantes torres em pastos e locais de mata rasteira já antropizados não é o mesmo que locais se serra, sem pasto, com mata nativa, poucas nascentes de super sensíveis ao desmatamento por se tratar de uma região semiárida!!! os impactos diretor aos seres humanos realmente precisam ser medidos, mas os impactos à vegetação são perfeitamente visíveis.

  • Emilia

    Acredito, que esse pessoal ai acima que postaram o seu comentário estão equivocados com a tecnologia, e estão esquecendo da natureza de nosso planeta terra. Pessoal tudo que é construido pelo homem traz prejuizo para o planeta. O melhor seria viver sem construir essas fonte de energias! Destruidoras!

  • Waldomiro

    Parabéns pela Reportagem. PALMAS_PR foi a primeira cidade no Brasil a ter investimentos em energia eólica. Há tantos investimentos de multinacional em nosso País, na área de geração de energia eólica. Que até agora, não chegou nenhuma empresa do ramo, negociando para se instalar aqui. O nosso clima é uma das melhores do Brasil, ventos fortes, sempre tem. Será que está faltando divulgação para investidores de nossa potencialidade.

  • Dayele

    gostei muito obrigada :D, era oqe eu precisava :D.

  • lina

    Existem fontes de energia melhores como a biomassa e a solar,existem outras alternativas como conciliar as fontes de energia renovaveis,por mais cara que possa parecer de inicio a biomassa feita de forma correta é a melhor,por ser a resposta para dois grandes problemas a energia e o lixão,a energia se resolve com construção de casas autosustentavel ou seja com energia solar,eolica,reaproveitando o uso da agua…a biomassa transforma o lixo em energia,e o que não é aproveitado é reciclado,vamos parar de encher nossas cidades com esses aerogeradores feios que parece uma praga em todo lugar,vamos ter bom senso,somos ricos em fontes renovaveis de energia,o Brasil é um País abençoado por Deus e com inteligência,visão,respeitando as pessoas e o meio ambiente chegaremos ao desenvolvimento realmente sustentavel,com bases solidas construindo um Brasil e um povo autosustentavel,isso é possivel.

    • Fabiano

      A questão é uma só!
      A população mundial crescendo e o consumo de energia aumentando exponencialmente. Devemos lembrar que não podemos depender apenas de fontes de energias alternativas, onde não se pode armazenar em forma elétrica, química ou mecânica, ou se obtém um alto custo de armazenamento ou manutenção, e duvido muito que a população está disposta a pagar.
      Sou Engenheiro Ambiental, e tenho a cabeça aberta a novas tecnologias, e creio que o que acontece muito é que as pessoas ou são de direita ou esquerda, 8 ou 80.
      Sejam mais maleáveis e analisem antes de falar… O que da certo em um lugar talvez seja inviável em outro local. Analisemos melhor o que dizemos.. A questão ambiental está dificil simplismente pelos extremistas linguarudos .
      Fica registrado aqui meu protesto

      • https://www.facebook.com/profile.php?id=100003546673585 Miquelina Solano

        Extremista,linguarudos,quantos elogios,bom respeito é bom em qualquer lugar,com certeza ,as fontes de energia ´precisam,tanto,ser renováveis com não renováveis,em nenhum momento,escrevi o contrário,preste atenção ,eu nenhum momento quis,ser dona da verdade,quem sou,apenas uma opinião,entre tantas,á população está crescendo,isso é um fato,ninguém aqui,tira o mérito de nenhum tipo de energia,tudo é uma questão,de opinião,é preciso,não apenas,nos comunicarmos,mas,nos entendermos,conflitos,sempre iram existir,as pessoas,pensam diferente,nem sou dá direita nem esquerda,nem me rotule,sou mais,do que meras palavras,penso,tenho opinião,se não concorda,nem leia,respondi ,porque tive,vontade,o que pensa,é apenas,sua opinião e de quem reclama,de quem é maleável,analítico,bom,nada mais á comentar,evite rotular e seja mais maleável,análise melhor o que escreve,ás vezes sou extremista,mas,tem momentos,que precisamos,sair do muro e ter opinião,nem sempre agrada,faz parte…sem protestos,apenas um desabafo,respeito,nunca fez mal á ninguém…

  • https://www.facebook.com/profile.php?id=100002681756676 Natanael Genoel

    Apesar de ter escrito algumas palavras erradas, errar é humano né? O conteúdo do texto é ótimo, você fez uma redação completamente ideal ao assunto com argumentos e contra-argumentos. Obrigado pelo texto.

  • Fabio Loyola

    Pessoal, nao sou expert em energia, mas sou um brasileiro muito preocupado e interessado pelo assunto de sustentabilidade. De tudo que tenho lido ultimamente, gostaria de citar dois grandes pensadores, Lester Brown e Fritjof Capra, ambos estao praticamente "abandonaram" o termo sustentabilidade, segundo eles, virou um termo um tao "modismo" e muito "generalista" e na opiniao deles parece que os esforcos estao ocorrendo sim, mas de forma dispersa, ate mesmo em razao de como esta a termologia.
    Eles estao adotando algo mais claro, objetivo e preocupante do tipo: "Sobrevivencia das Civilizacoes", estamos numa situacao GLOBAL que as questoes principalmente ambientais estao "insustentaveis" ate pelo crescimento populacional e pela lentidao na tomada de decisao e acoes efetivas…
    Resumindo, o que eu gostaria de deixar aqui, como leigo mesmo, eh que nao ha hoje no momento mais uma decisao "unilateral" ou "individualista", tudo que as nacoes precisam fazer agora eh pensando no TODO, parece utopia, respeito os menos otimistas, nao sei se conseguiremos devido as varias barreiras culturais e economicas entre os povos, MAS o fato eh de SOBREVIVENCIA enquanto nos estivermos alinhados em relacao a esta real gravidade, continuaremos a patinar ou ficaremos um "alfinetando" o outro aqui e qualquer outro forum…Temos que juntar nossos pensamentos criticos, nossas redes sociais, nosso tempo disponivel, para focarmos em comentarios propositivos, independentemente se a favor ou contra ou intermediario, tem que ser algo construtivo, propositivo…
    Finalmente, adotarmos posturas MENOS simplistas/duais para uma abordagem mais holistica/sistematica, no caso desta discussao aqui por exemplo, cabe mais pensarmos em "diversificar a adocao das fontes de energia renovaveis" aproveitando a particularidade de cada regiao do nosso pais em relacao as caracteristicas requeridas pelas novas fontes.
    Outro ponto agora mais especifico, eh sim, de termos legistacoes, criterios mais detalhados para todos os tipos de adocoes das novas tecnologias ou alternativas, ate por conta de gerenciamento de riscos e novas oportunidades ou mesmo de munir futuros investidores de todos estes pontos criteriosos e ate servir para caso de licitacoes por exemplo…se nao souber dos riscos e impactos fica complicado selecionar qual seria a parceria mais viavel para uma empreitada como esta…
    Identificar e quantificar os impactos de todas estas fontes alternativas em relacao aos seus beneficios (pensando aqui nas tres esferas: social, economico e ambiental) na minha visa eh fundamental ponto para nos no momento, pois o resto, investimentos, tecnologias sao consequencia…
    Enfim, nao sou tecnico, mas tento pelo menos passar a mensagem para sermos mais assertivos com os demais colegas aqui, comecei faz pouco tempo escrever e ler e adoro adquirir conhecimento quando um ou outro se prontifica em argumentar de forma madura, profissional, tecnica mas acessivel e principalmente educada, diplomata com os demais…Vamos comecar do comeco, vamos ser civis? Que tal? Abracos, Fabio Loyola (psicoloyola@hotmail.com)

  • Pedro Grandi

    Perfeita sua matéria. Somente com dados técnicos pode-se verificar qual forma é menos prejudicial. O desenvolvimento deve caminhar junto a proteção ambiental, é e sempre foi inexorável. O homem "deixou" de perceber isso por conta do vil metal.

  • JOÃO CAVALCANTI

    A física já explica desde o ensino primário"dois corpos não preenchem o mesmo espaço" portanto, alguma coisa tem que ser extraída e neste espaço (plantações;vias carroçáveis;dunas;etc…).tem que ser preenchido de alguma forma p/implantação das torres eólicas lembrando que envolvem movimentações de terras(fui técnico no parque eólico de MATARACA PB) . Então há impactos sim, em maior ou menor intensidade,sendo que um bom projeto irá contribuir de forma menos invasiva no ambiente à ser trabalhado

    • miquelina

      Nem tudo á física explica,ciências exatas,quando tudo é tão incerto e relativo,existem coisas que ninguém explica,só sentimos ou não depende da capacidade de cada um,quem quer muda,amplia seus horizontes,procura alternativas,na crise cria oportunidades,mas,com respeito e responsabilidade,os impactos vão muito mais além do que existe no papel,existem pessoas e nada justifica destruição de APPS,APAS,NADA,paga,compensa,ou refaz,tudo no projeto é lindo,mas,existe áreas adequadas e de real baixo impacto,áreas que merecem ser preservadas,precisam ser intocáveis,preservadas e recuperadas,quando possível,é preciso leis bem definidas e regulamentadas,nenhuma exceção á regra,é preciso rever tudo que já foi feito e reavaliar,projetos,contas,idéias,é preciso ver todas as partes,conciliar desenvolvimento e preservação é uma luta árdua que exige união de esforços,conciliação,respeito,união,paz,vale á pena tentar,fazer seu melhor,ter calma,controle e equilíbrio,para resolver cada questão,agilidade,ânimo,decisão.

  • lina

    Acredito no bom senso,ás vezes precisamos causar polêmica,provocar para que aconteça ações reais e concretas,a RIO+20 é um meio,assim como á copa,o que vêm depois é o que importa,trocar idéias é de fundamental importância,enriquece o assunto,porque precisamos reavaliar modelos pré-definidos e colocar em prática o que é possível,á baixo,sou idealista sim acredito que a união de esforços de atitudes fazem á diferença,existem bons exemplos á serem seguidos,precisa de muito estudo,pesquisas,interesse,incentivos,visão á longo prazo,bom senso,respeito ao meio ambiente,ajustes de leis,de condutas,de se envolver ativamente,participar,sem á participação organizada em massa da sociedade civil é impossível ter uma mudança efetiva,é preciso mudar e quebrar barreiras,ter um novo olhar e mobilizar seu amigo,mais informação,educação ambiental em todas as escolas do mundo,consciência se cria,se molda,se conquista,cada dia,com exemplos,com o respeito á nós mesmos,sermos responsáveis por nosso lixo,cuidar,plantar,regar,cada um faz sua parte,uns podem mais outros menos,mais cada um contribuindo,união,mobilização e sensibilização,operam milagres,sou sonhadora sou,o que é do homem seu o sonho,á esperança.sem á fé ,eu acredito e procuro,fazer minha parte da melhor maneira,tente,para de reclamar e coloque sua mão e seja gentil,ação gera reação é fato,respeito e responsabilidade,todos somos responsáveis pelo que acontece,é preciso sair desse comodismo e acordar pra vida,enquanto é tempo,muito precisa ser feito e nem chuva caí fácil do céu,pensem nisso e participe ativamente,se informe,procure adquirir conhecimento e abrir sua mente,atitudes positivas,concretas e efetivas,boa vontade e coragem,é muito,faça sua parte.

    • Páulete maria Corrêa

      Gostaria de poder além do texto, muito elucidador ler opiniões realmente coerentes com o tema .
      Tudo parece questão de mostrar quem sabe mais e quem melhor tenta convencer, sem contudo apresentar soluções lógicas para esta questão .
      É preciso entretanto sertificar-se da realidade brasileira, onde apagões causam muitas situações constrangedoras e fatais em certos casos como hospitais e industrias.
      Temos direito de concordar ou discordar, respeitando quem tem coragem de primeiro se manifestar sobre o assunto como no caso da autora.
      É lamentável a postura de alguns leitores que a criticaram, pois o respeito é item munero um da postura profissional.

  • mario cezar

    BLZ a energia eolica causa impacto ambiental

    tudo que altera ou modifica o meio em que vivemos é impacto ambiental o que podemos nos pergunta esse impacto nos afetara negativamente ou não?

    essa e a pergunta e outra quem concorda comigo que bioenergia,eolica,solar,geotermica e melhor que de origem fosseis como termoeletricas ou nuclear.

  • valeria

    eu sou a favor dos parques eolicos em qualquer lugar , avisao e linda parece ate que estamos no esterior ok.

    • thiago

      tambem concordo…..

  • Ananias Baracuhy

    Falar de impacto ambiental e condenar a energia eólica só seria coerente se primeiro parassem todas as hidroelétircas em nome do meio ambiente???as hodroelétricas acabaram com muitas espécies de peixes de muitos rios…será que é pouco?em termos de impacto…acho ridículo esse motivos levantados contra o desenvolvimento da energia eólica que além de ser renovável,se trata de uma energia limpa…

  • thiago

    os impactos ambientais são causados pelo próprio ser humano por sua falta de respeito para com o meio ambiente pois de que adianta muita tecnologia para o desenvolvimento da terra se nós não desenvolvemos o nosso respeito para com o ambiente;de que adianta eltrecidade se eu não sei ecÔnomizala ……

  • Telmo

    é simplesmente impressionante a forma com que as pessoas tratam de expor as suas "idéias" a respeito de coisas sobre as quais não têm o menor conhecimento.
    1- os aerogeradores não possuem movimento próprio, este apenas ocorre quando há vento, entre 4 a 15 metros por segundo (após essa velocidade, a máquina se "auto-trava",. por segurança). se observar a usina de Osório, se vê que a velocidade em geral é muito baixa, com movimento suave. É um absurdo alguém pensar que o "catavento" vá disparar e o mundo acabar.
    2- RUIDO – é virtualmente impossível alguém perceber qualquer tipo de ruido – tanto pela baixíssima velocidade das pás, como pelo fato de a máquina ser um gerador elétrico. Além de não existir ruido, os equipamentos ficam em torres a mais de 100 metros do solo!!!! O que dizer de pessoas na Holanda que vivem até hoje DENTRO de moinhos de vento construidos com engrenagens de MADEIRA? Deveriam ficar malucas pelo suposto barulho das engrenagens, certo?
    3- o impacto ambiental é praticamente inexistente, as torres ocupam uma pequena área do solo (20 m2), liberando totalmente o terreno para qualquer tipo de atividade -é o que existe em Osório: cultivo de arroz e criação de gado. Quanto ao visual, não chega a ser um terror estético – que tal o pavoroso aborto que é a Torre Eiffel, que foi construida no coração de Paris para servir de mastro de antena para a Radio da França (RTF) e que é hoja o simbolo da cidade?
    4 – perigo de que a praga das eólicas se espalhe pelo Brasil? Não há a menor chance, pois os mananciais de vento são pouco abundandes no Brasil (infelizmente), sendo os mais ricos deles situados no Nordeste. Energia eólica: energia muito limpa e sem impacto.

  • miquelina

    Quando escrevi esses comentários fui precipitada e gostaria se possível retirasse esses comentários,quando observamos apenas um lado da questão ficamos cegos ao todo,com sua experiência sabe o que é melhor e necessário,realmente quando escrevi estava com receio de ver ,as dunas comprometidas,mas acredito que me enganei e que não colocaram ,uma energia desse nível ,em qualquer lugar,se faz necessário á energia eólica,solar e todas que causarem menos impactos ao meio ambiente,que elas sejam bem vindas,renováveis e que ajudem nosso País á se desenvolver e ter um meio ambiente com energia eficiente e o suficiente pra atender á demanda,tudo tem impactos e devido á necessidade,preciso enfrentar com planejamento e respeito,pois as licenças ,só são dadas,se tudo estiver de acordo com as regras,muitos desafios, principalmente,nas redes de distribuição dessa energia tão importante pra o futuro desse País,espero que todos conflitos sejam sanados e que realmente seja um sucesso pra todos os investidores e consumidores,brasileiros…

  • Sérgio Faust

    Me preocupa os comentários, vez que em minha cidade teremos audiência pública em breve para discutir a instalação de um "parque eólico". Tenho sentimento inicial de que seja um bom negócio, que deve ser aproveitado como atrativo turístico e para isso acredito que a comunidade no entorno seja beneficiada com uma contra partida por parte dos empreendedores como melhoria nas estradas, para inclusive alavancar o turismo. Trata-se de Imaruí SC.

    • Brazooka

      Salve, Faust. Trabalhei 13 anos com energia eólica, e agora estou trabalhando em uma Secretaria Municipal, na área ambiental. A usina, se bem projetada e instalada, é um bom negócio para os moradores. Traz investimentos e empregos para o município, como todo grande negócio impacta em uma cidade. Notou que condicionei "se bem projetada e instalada"? O projeto de uma usina eólica leva em consideração alguns pontos, o principal -claro- é um valor alto de média anual de velocidade de vento (que Imaruí tem), mas outros são "capitais": distância de interligação ao "linhão" de energia; área críticas ambientais (APPs, corredores de avifauna); subsolo do empreendimento. Estes são fatores técnicos "diretos".

  • leonardo veiga

    tenho q fazer um trabalho sabre o impacto ambiental da energia eolica como faço?

  • Hélcio Capucci Bastos

    Parabéns pela explanação sobre eólica. Mas, gostaria que, também, fosse feita uma sobre os impactos ambientais da energia fotovoltaica, pois na área de atuação da AMPLA ela solicita “Aprovação Ambiental pelo INEA da Fonte Geradora” sendo este um dos vários itens solicitados para se ter conexão à rede de baixa tensão de minigeração distribuída.